18 de setembro de 2018

Minha experiência com pastilhas resinadas que imitam Metro White


Minha experiência com pastilhas resinadas que imitam Metro White
18 de setembro de 2018

Esse post tem como objetivo relatar a minha experiência com a aplicação da pastilha resinada que imita Metro white, bem como responder as principais dúvidas que surgem lá no Instagram.

________________________________

Para quem não conhece, Metro White é um tipo de revestimento clássico que ficou muito famoso recentemente devido a disseminação do estilo de decoração escandinavo. Ele é facilmente encontrado em muitos projetos de interiores, inclusive de locais públicos, como os metros de algumas capitais do mundo e franquias famosas como Bacio di Latte e Starbucks. Devido a sua enorme popularidade, surgiram algumas alternativas à sua aplicação que não envolvessem obras e reformas, sendo a pastilha resinada a forma mais acessível para quem deseja incorporar um pouco desse estilo a sua casa, mas não quer (ou não pode) investir no revestimento cerâmico.

Vale lembrar que já contei {nesse post} que considero esse um investimento bastante particular. Ao contrário do que muitos divulgam essa NÃO é uma alternativa mais barata ao revestimento original, pois embora não tenha o custo de mão de obra, tem o mesmo valor do revestimento cerâmico, com a diferença que a qualidade e durabilidade dos dois não são nem comparáveis. O revestimento cerâmico é para toda uma vida, a pastilha é algo para curto prazo. Portanto se o critério é economia não vale a pena. O único motivo pelo qual vale é a impossibilidade de fazer uma obra. Nesses casos a pastilha é uma ótima alternativa e pode cumprir com o esperado.

E foi por isso que nós optamos por ela. Devido o nosso apê ser alugado, queríamos uma solução que fosse facilmente revertida, pois não podemos fazer nenhum tipo de mudança estrutural no imóvel. Como a pastilha é autoadesiva, pretendemos retira-la quando tivermos que devolver o apartamento, não tendo assim nenhum tipo de problema. O investimento foi considerável (por ser algo não tão duradouro), mas essa foi uma escolha muito pensada por nós e na somatória de fatores consideramos acertada, pois é um detalhe que fez toda diferença na cozinha.


Acho que a melhor forma de explicar a minha experiência é respondendo as principais perguntas por tópicos. Assim fica tudo bastante organizado e você pode ter uma dimensão mais total de todos os parâmetros 😊

Como as pastilhas vieram?
Elas chegaram em placas adesivas em uma caixa muito pequena. É importante você não ter uma grande expectativa, as pastilhas são pequenas e vem em uma folha de adesivo bem fina que na verdade lembra muito uma fita isolante (tanto que usei fita isolante para fazer os acabamentos).  A foto em cima são das placas soltas, dá para ter uma dimensão de como são.

E como foi a instalação?
Bem difícil para mim. Mas creio que isso é relativo. Você vai precisar ter muita paciência e precisão. É como colar um adesivo, você tem que ir medindo para não ficar torto, considerando as deformidades da própria parede. Como a nossa parede é bem torta foi mais difícil e não ficou perfeito. Alias se você é perfeccionista, vai sofrer! Em 90% das paredes que eu vi na internet eu achei algumas imperfeições. É uma aplicação adesiva, não vai ficar igual a um acabamento feito por um azulejista.

Qual foi o valor que vocês gastaram nas pastilhas e qual a metragem? Vocês tiveram que medir antes?
As medidas e valores são aproximados: cerca de 2x0,60cm ~ em torno de R$500,00. E sim, tivemos que passar a medida da parede que queríamos colocar no ato da encomenda.

As peças vem cortadas? Como faz com torneira e tomada? 
Não vem cortadas. Você deve fazer o corte. É um pouco chato, mas é possível de ser feito.

É fácil de limpar?
Muito! As vezes eu passo até desengordurante (o que não é recomendável por ser muito agressivo), mas nunca tive problema. O revestimento continua intacto.

É reutilizável? Dá para reaproveitar em outro espaço?
Sim! Creio que a maior parte dele. Você pode retirar o adesivo e reutiliza-lo. Na pior das hipóteses caso perca a cola pode retirar as pastilhas brancas e colar em outra superfície adesiva. A única parte que não dá para aproveitar são os cortes de torneira e tomadas. Essas partes tem que ser substituídas.

Pode molhar?
Olha eu acho que sim. Eu coloquei na parede da pia e a maior parte das pessoas fazem isso. Até agora não teve nenhum indício de descolamento.  Está tão fixo como no dia da aplicação.

Ele desbota?
Não. Ele é bastante resistente.

Durabilidade?
Como eu disse, ele é bastante resistente. Mas não creio que dure mais que uma década, então no fim das contas, é algo temporário.

Dá para cobrir toda a parede? Como harmonizar com o restante do cômodo? 
Acho bastante improvável. Para colocar em toda cozinha você teria que despender um investimento considerável. Por isso a minha dica para harmonizar é usar outros tipos de revestimento descartáveis, como papel de parede ou adesivo vínilicos. Eu mesma usei fita isolante e ficou bem charmoso. Toda essa parede preta da foto no início foi feita com fita isolante.


________________________________

Espero sinceramente ter ajudado. Estamos muito felizes com a nossa escolha, mas é preciso ser realista para que você não faça um investimento cujo qual possa se arrepender depois. Quando eu encomendei as minhas placas não tinha muita informação na internet e as poucas pessoas que usaram disseram ser tão fácil que eu realmente me iludi um pouco. Mas a verdade é que tem os seus pontos negativos e de repente, a não ser que você seja MUITO fã mesmo de Metro White, talvez não valha tanto a pena para ti.

Ah, e caso sua dúvida não tenha sido respondida, deixe nos comentários que assim que possível, responderei com todo prazer! 😘

9 de setembro de 2018

panqueca tradicional americana


panqueca tradicional americana
9 de setembro de 2018

 OU O FAMOSO CHAPÉU-DE-COURO, como é conhecido no Ceará.


Eu cresci comendo esse delicioso bolinho de frigideira que minha avó sempre chamou de chapéu de couro. Até onde eu sei, é uma receita muito famosa no interior do Ceará (onde minha avó nasceu) e ela sempre fazia para nós tomarmos café da tarde vendo novela. O que eu nunca tinha associado é que na verdade, esse bolinho é a tradicional panqueca americana, aquela que é servida com mel e frutas em todos os tradicionais cafés da manhã norte americanos. Quando eu entendi isso foi quase como um estalo na minha mente, afinal eu sempre testei várias receitas complicadas com ingredientes requintados, mas no fim das contas a minha avó é que sabia das coisas, a receita dela é bem simples e foi o ponto de partida para eu chegar até essa versão final que apresento hoje para vocês. 


Queria dizer que simplicidade e leveza foram minhas inspirações. Eu queria uma receita que fosse fácil de fazer e acessível para nós brasileiros, afinal, convenhamos, esse negócio de pedir buttermilk é uma coisa muito pouco prática certo? Não se acha isso em nenhum canto no Brasil e não é tão fácil fazer em casa. Por isso eu testei muito até chegar nas proporções exatas e achei o substituto perfeito para conservar a maciez e leveza de uma panqueca feita com os melhores ingredientes norte-americanos.

Você vai precisar de:

  • 2 ovos
  • 5 colheres (de sopa) de açúcar refinado
  • 1 colher (de sopa) de manteiga
  • 170g de Iogurte natural Integral
  • 1 xícara e 1/2 de farinha de trigo  peneirada
  • 100 ml de água
  • 1 colher (de chá) de fermento em pó
  • 1 colher (de chá) de essência de baunilha


  1.  Em uma vasilha adicione os ovos, o açúcar e a manteiga. Mexa bem até a mistura ficar homogênea. Em seguida adicione o iogurte.
  2.  Adicione a farinha peneirada e a água, depois mexa delicadamente até incorporar.
  3.  Acrescente o fermento e a essência de baunilha e repita o processo de mexer até incorporar.
  4. Em uma frigideira pequena adicione a porção de uma concha de massa e leve ao fogo baixo até desgrudar da panela. Quando perceber que está desgrudando do fundo, vire a panqueca para que possa fritar do outro lado.
  5. Retire da frigideira e reserve. Repita o processo com o restante da massa.

Importante:

  • Jamais use colher de metal para mexer a massa. Opte por colher de pau ou de plástico.
  • Conforme a massa for fritando ela vai crescendo na própria frigideira. Se isso não acontecer alguma coisa deu errado e provavelmente foi o iogurte que não reagiu com o fermento.



Como dá para perceber, o segredo está no uso de água ao invés de leite e iogurte para garantir a maciez e leveza. Eu particularmente não recomendo o uso de iogurtes muito líquidos como a maioria que vende das grandes marcas, prefiro aqueles que são mais "coalhados" e tem um aspecto mais sólido. Eu gosto muito e uso dessa marca aqui.

Espero que tenham gostado dessa receita e que possam fazer muitas e muitas vezes! Recomendo servir com um bom mel e morangos, afinal nada é mais a cara da primavera 🌼

Rendimento: 7 ou 8 panquecas pequenas
a vida feita com amor ❤ © 2016 - | proibida a reprodução | theme by march17 com adaptações por QRNO