5 de março de 2019

Uma coisa curiosa sobre ser paulista é que geralmente temos essa tendência de procurarmos lugares previamente conhecidos e ocuparmos espaços que em outros tempos nem acomodaria tanta gente, por isso como imaginar que encontraríamos um paraíso desses perdido há menos de 2 horas de distância do caos de São Paulo? Uma praia quase deserta, paradisíaca, cheia de natureza e tranquilidade, que chega até fazermos descrer de onde estamos. Essa é a sensação de quem chega a Guaratuba, na encosta de Bertioga.

Fizemos um “bate e volta” no começo de fevereiro sem grandes expectativas. Eu li em um desses sites de dicas de viagem que ela é considerada a 2ª melhor praia do estado, mas eu realmente não sabia muito bem o que esperar, além do frio na barriga de estar indo para uma praia mais natureza, o que em outros tempos me causou um pouco de ansiedade. Já falei aqui o quanto amo praias urbanas, então me incluo na categoria de paulistas que gosta de se aglomerar em grandes centros de agitação e e comércio, onde posso nadar com segurança e encontrar restaurantes deliciosos. Porém visitar Guaratuba foi uma quebra de paradigmas, porque eu realmente me apaixonei pelo lugar. E cheguei a conclusão que eu amo mesmo o litoral de SP, que é meio que a mesma coisa e tem cara de casa.

Acho que a melhor coisa de conhecer Guaratuba foi quebrar paradigmas. Eu ainda tinha um certo trauma da minha passagem pela Paraíba onde achei praias desertas belíssimas mas cheias de bichos estranhos e com o mar revoltoso, então fiquei com essa ideia de que praia natureza não era a minha. Mas ao conhecer esse lugar definitivamente soube que é a minha praia mesmo, eu adorei cada segundo e foi difícil me tirar da água (peixinho canceriano 🐟).

Inclusive porque o diferencial de Guaratuba é que o rio desagua no mar. Então temos praia e rio à disposição para diferentes gostos. O rio com água doce mais esverdeada e gelada e o mar quentinho, meio azulado e absolutamente salgado. Eu prefiro o mar, mas confesso que adorei ficar no rio também. Inclusive na parte da manhã o rio fez algumas poças no meio da praia criando piscinas naturais deliciosas.

Ah e os bichinhos, muitos bichinhos. Nunca vi tanto caranguejo na minha vida, foi uma verdadeira reconexão e alinhamento da minha energia canceriana 🦀

Na foto de baixo da para ver como a praia é vazia. A parte do rio estava mais cheia, mas o mar mesmo é praticamente deserto. Fomos em fevereiro na alta estação, mesmo assim vazio. Levamos coisas para comer porque não sabíamos se ia ter alguma coisa lá e no fim até que tinha umas barraquinhas de comida, mas achamos melhor não arriscar.

E foi um dia incrível. Para ficar na memória. Pretendemos voltar em breve, inclusive porque acabei não falando, mas a melhor coisa é o pedágio! 😂 Para quem está acostumado a pagar R$30,00 para descer a serra em direção à Santos, para chegar em Guaratuba o pedágio é R$3,70. Ou seja, sucesso! 😁 Só se prepare porque a serra é um pouco mais íngreme e a pista se estreita em alguns pontos. Mas nada demais. Fácil de chegar e ideal para fazer camping (em locais adequados) o que pretendemos fazer qualquer dias desses.

Leia esses também

    praia grande são paulo
    Memórias da praia grande
    Uma semana na Paraíba
esse post trata de:

4 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


635 No bloglovin 6701 No instagram 818 No pinterest