Trocar piso de apartamento alugado: a experiência com manta vinílica
15 de janeiro de 2019

Finalmente esse post vai sair da caixa de entrada! 🙏 O tão aguardado relato da minha experiência com a aplicação da manta vinilica em apartamento alugado. Custos, desafios e bastidores realistas dessa empreitada que fiz quando peguei as chaves e decidi trocar o piso de apartamento alugado. Eu demorei um pouquinho para soltar esse post porque eu queria completar o prazo de 12 meses após essa reforma e dar dicas mais sólidas para vocês. Por isso espero que gostem do relato, tá bem completinho e foi feito com capricho! 😉

trocar piso de apartamento alugado: o motivo

Para iniciar, é importante explicar o porque da escolhi “colocar um piso” em um apartamento que não é próprio. Eu já escrevi aqui no blog que viver de aluguel é um estilo de vida que adotei para construir um futuro mais sólido e que em meio disso busco conciliar meus desejos e sonhos de uma casa confortável e agradável dentro da minha realidade. Por isso esse tipo de investimento para mim é prioridade e está dentro do meu planejamento. Talvez você não tenha isso como algo importante e está tudo bem. Mas para mim há certas coisas que não tolero em uma casa e piso de cerâmica é uma delas, por isso ao fechar esse apartamento, sabia que teria que fazer alguma coisa para “resolver esse problema”.

Foi portanto nesse contexto que a manta vinílica surgiu nas minhas pesquisas e aparentemente era a solução perfeita, pois além de prometer uma aplicação fácil poderia ser retirada ao final do contrato de locação do imóvel. Isso era importante, porque não queria negociar nem mexer com nada de obra no apartamento. Então não hesitei e fui atrás dos materiais para fazer por minha conta e risco, arcando com qualquer prejuízo que pudesse decorrer da empreitada.

leia também: reformas no apê

Toda a experiência foi um misto de emoções. Em alguns momentos pareceu uma ideia genial, mas em outros senti que não daria conta. Por isso sou honesta em dizer que apesar de ter gostado do resultado e não me arrepender do processo, foi um pouco mais difícil do que imagiva no início. Principalmente com o acúmulo de outras tarefas que tínha para entregar o apartamento antigo e fazer a mudança.

Por isso a minha dica caso você queira tentar fazer o mesmo é paciência, porque apesar de não ser uma obra de verdade, não deixa de ser um tipo de reforma e como toda reforma, dá trabalho e tem pequenas coisas que saem do planejado. Um bom jogo de cintura e capacidade de aceitar as imperfeições da vida nos ajuda e pode garantir que esse processo seja um pouco menos traumático para você do que foi para mim. Claro, além das dicas desse post, pois se soubesse de muitas coisas que estão escritas aqui, talvez tudo teria saído melhor 🙂

Paciência e cuidado: dicas chaves para esse processo

Agora vamos as dicas! Decidi fazer o relato por partes, pois além do piso, colocamos também rodapés brancos para finalizar o processo e essa foi a parte mais difícil de todas, por isso acho importante dar um a noção clara e separada das partes, para você avaliar o que está mais bem encaixado na sua realidade e planos, ok?

A compra dos materiais: preço e custo

Comprei 30 metros de manta vinílica MALIBU da marca Scandian Home em uma promoção na internet. Paguei R$11,00 no metro, o que na época deu R$300,00. Além disso comprei o rodapé Santa Luzia por cerca de R$5,00 o metro, o que deu uns R$150,00.

Ocorre que como em toda reforma, o material acabou faltando (no caso apenas a manta) e tive que comprar mais para repor. O meu erro foi não calcular as partes de corte, então perdi um pouco da metragem inicial, faltando 5 metros para terminarmos o escritório. A loja estava sem estoque e tive que pedir para o fornecedor de fábrica, que me atendeu super bem e me enviou o que precisava. Porém cobraram o preço da tabela cheia, o que acabou saindo R$170,00 na época. Se tivesse comprado 5 metros a mais inicialmente, teria economizado R$100,00 e não teria passado sufoco. Porém sem  essa experiência, fiz meu melhor.

Sendo assim, recomendo que você sempre compre uma metragem excedente, é melhor sobrar um pouquinho do que faltar (acredite, é tenso, imagina se saísse de linha?! ía ficar com um cômodo destoante na casa). Além disso também comprei uns 5 rolos de fita dupla face para aplicação da manta, o que totalizou cerca de R$50,00. E um pequeno balde de cola de sapateiro que custou R$10,00 para grudar o rodapé.

Custo total da aplicação manta e rodapé com todos materiais: R$710,00 para 30 metros.

 

Sobre a aplicação da manta

A aplicação da manta foi super fácil. Ela vem em um rolo grande, você tem que abrir no apê, medir e fazer os cortes. Não tem muito como explicar porque é meio intuitivo, mas basicamente fizemos o seguinte: Chegamos em um cômodo, abrimos o rolo, deixamos ele rente a parede e fizemos o corte com uma margem boa de sobra, para fazer o acabamento final das bordas. A parte mais difícil foi o corredor e as entradas da porta, mas usei a criatividade e fiz um acabamento simples com emendas e recortes geométricos das sobras da manta. Depois de recortar tudo, colamos no chão com fita dupla face. Sim isso mesmo, passamos fita dupla face nos cantos e nas bordas da manta e grudamos no chão, simples assim.

PROCESSO

  1.  Desenrolar em um cômodo e fazer o corte.
  2.  Cortar os acabamentos e emendas.
  3.  Aplicar fita dupla face nos cantos do chão.
  4.  Colar a manta por cima.

Dificuldade zero! A verdade é que inicialmente iria colar com cola de sapateiro, mas logo percebemos que ela derretia a manta, então abortamos o processo. Eu acabei tendo a ideia de usar fita dupla face e no fim foi genial, porque já faz 1 ano e 2 meses que estamos no apê e o piso continua intacto (mesmo arrastando móveis).

 

Sobre aplicação do rodapé

Bom, aí entra a parte de desespero desse processo todo: a tensa colocação do rodapé. A verdade é que nós não tinha muita noção de como colocar e só quando comecei a fazer é que me deparei com as tais das quinas que necessitam de um recorte especial. Fiquei com medo de mexer naquela máquina própria para isso e não consegui cortar com a serra pequena. Acabei por fazer  “de qualquer jeito” o que não deixou um aspecto tão profissional no apê. Cortamos tudo reto e colamos um em cima do outro (ver foto para entender) usando cola de sapateiro.

Isso deu um trabalho e no fim eu fiquei super frustrada porque achei que ficou meio “feio”. Além disso, o rodapé de cerâmica era maior que o nosso e isso acabou deixando ele um pouco saltado. Mas no fim das contas aprendi a lidar com essas imperfeições porque na época foi o melhor que podia fazer. Porém hoje em dia tem vários tutoriais na internet que ensinam a colocar o rodapé e se tivesse visto isso antes teríamos feito melhor. Outra solução poderia ter sido rodapé de EVA autocolante, que também dá bem menos trabalho (apesar de ser mais caro). Mas mais uma vez vale o mantra, fiz o melhor que pude com o conhecimento da época e os recursos que tinha.

Não contratei um profissional porque o orçamento médio que recebi era praticamente o triplo do gasto com todo o material. E tendo em vista que querias algo mais móvel mesmo (pois vou tirar ao sair) isso não fazia muito sentido. Improvisamos então como deu. De toda forma com certeza se precisar fazer em uma próxima vez, vou alugar a máquina como os meninos da Casa Cobre fizeram!

trocar piso de apartamento alugado: conclusão final

Fiquei muito satisfeita com o piso, mas um pouco decepcionada com o rodapé. De toda forma, em um saldo geral, acho uma experiência enriquecedora. Hoje o apê tem um aspecto muito mais aconchegante e considerando o que gastei foi muito pouco né? Claro que perfeito não ficou, mas como eu também disse no relato de experiência da aplicação do metro white da cozinha, quando fazemos uma reforma por nossa conta não podemos esperar um aspecto tão profissional. Aceitar as imperfeições e lidar com elas é necessário para quem decide se aventurar no mundo das reformas baratas e do faça você mesmo.

Dito isso, vou deixar um pequeno FAQ com perguntas gerai, assim eu consigo abordar outras coisas que eu não deixei no relato:

A manta pode ser aplicado em cima de qualquer piso?

Não! O piso deve ser resistente. Lembre-se que ela será colada com fita adesiva e se for um piso frágil pode riscar, ou manchar. Se não tiver nenhum apego ao piso de baixo tudo bem, mas se for algo alugado, tome cuidado ao avaliar o piso, porque se você estragar terá que repor. Piso de cerâmica comporta a fita adesiva, depois é só tirar e passar um pequeno solvente de cola para limpa-lo totalmente.

A manta suja muito? é fácil limpar?

Sim suja, pois é cinza claro. Mas como eu gosto de coisas claras estou acostumada com a rotina de limpeza 2x por semana.  E é fácil de limpar. Passo aspirador e um pano simples com algum tipo de desinfetante.

Pode lavar?

Não é recomendado. Nenhum piso vinílico ou laminado é 100% lavável. Mas a manta aguenta menos água. Por isso eu apenas passo pano.

É fácil tirar caso tenha que entregar o apê?

Sim. só descolar e retirar a fita adesiva. A mesma coisa para o rodapé. E o bom é que ela pode ser reaproveitada depois em outro lugar (ou até mesmo para encapar coisas, porque ela é BEM fininha).

O acabamento fica igual a um piso vinilico ou laminado?

Bem parecido. Pelo menos com os modelos mais baratos dos últimos apês que morei.

Pode arrastar os móveis?

Sim, mas com cuidado. Na mudança fizemos apenas 2 pequenos rasgos na manta arrastando o sofá (tinha um parafuso solto e não vimos). Mas com cuidado pode sim. Fizemos toda a mudança depois da aplicação da manta.

Os recortes ficam evidentes?

Sim, principalmente se o piso for mais claro.

Ufa! ficou um post e tanto! Espero ter ajudado e qualquer dúvida, é só deixar nos comentários 😀

leia esses também

Fazendo uma parede de listras
varanda ape pequeno
a conclusão da pequena reforma na varanda do apê
Pequena reforma na varanda do apê: o projeto
esse post trata de:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 Comments